Alterações para cidadãos Europeus e Britânicos

Desde o resultado do referendo favorável à saída do Reino Unido da União Europeia, ainda em 2016, o Brexit (British exit) tem levantado muitas dúvidas em turistas e também em europeus que vivem na Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Isso porque após a saída definitiva do bloco, em março de 2019, as leis para visitantes britânicos e para cidadãos de países membros da UE irão mudar.


Em um primeiro momento, portadores de passaporte europeu não precisarão de visto para entrar no Reino Unido, eles serão enquadrados na lista de países com livre-circulação. Por outro lado, os britânicos serão isentos de visto para viajar a turismo pelo período máximo de 90 dias, cumprindo ainda exigências como comprovantes de hospedagem e financeiro e passagem de volta. A Comissão Europeia afirma que “as regras da UE sobre cidadãos não-europeus viajando para a UE obviamente se aplicam aos cidadãos britânicos, uma vez que eles não são mais cidadãos da UE.”


Para europeus que trabalham e vivem no Reino Unido por pelo menos cinco anos até 2020, poderão aplicar ao “settled status”, podendo permanecer no país indefinidamente, de acordo com informações divulgadas pela BBC. É esperada pelo governo britânico um total de 3,5 milhões de solicitações, onde os europeus precisarão comprovar identidade e que vivem no Reino Unido e, além disso, devem apresentar ficha de antecedentes criminais. O procedimento será online e a resposta dos pedidos deve ser enviada no prazo de até duas semanas.


O caso dos irlandeses é um pouco diferente já que as relações são regidas pelo acordo Common Travel Area. Firmado para facilitar o princípio de livre-circulação de cidadãos britânicos e irlandeses entre o Reino Unido, a Irlanda e as ilhas, o acordo irá preservar a livre-circulação dos irlandeses em solo britânico.
Para turistas, apesar das mudanças econômicas e políticas que o Brexit promove, praticamente não haverá alteração no visto para os viajantes, já que o Reino Unido não pertencia ao Espaço Schengen, nem adotava o Euro como moeda.

 

Buscar