Dobra número de brasileiros barrados nas fronteiras europeias

Relatório divulgado pela agência de fronteiras europeias, a Frontex, mostra que o número de brasileiros deportados da Europa nos primeiros seis meses de 2018 dobrou em relação ao mesmo período do ano passado.

Foram 2.225 brasileiros barrados de entrar no continente entre janeiro e junho – uma média de 12 deportações diárias nas fronteiras europeias.
A falta de documentação apropriada para justificar o motivo da viagem contribuiu na grande maioria dos casos.

As crises política e econômica no Brasil, o aumento da violência e a alta taxa de desemprego, somados com a insuficiência de comprovações podem ser considerados fortes indicativos de que essas pessoas estariam tentando imigrar de maneira ilegal para países europeus.

Ainda de acordo com dados da Frontex, também aumentou 35%, em relação a 2017, o número de brasileiros obrigados a deixar a União Europeia por falta de documentação adequada ou visto – foram 1.037 deportações.

Pesquisa do Datafolha, de maio, mostra que 70 milhões de brasileiros deixariam o país, se tivessem oportunidade. Dados divulgados pela Receita Federal apontam que a saída definitiva do Brasil aumentou 165% no período entre 2011 e 2017. Já estima-se que 3 milhões de brasileiros estejam vivendo longe do país.
De encontro a esses dados, também aumenta o interesse pela dupla cidadania.

Muitos brasileiros são descendentes de imigrantes europeus que no século passado atravessaram o Oceano Atlântico fugindo das guerras e buscando melhores oportunidades. Hoje, as novas gerações buscam fazer a viagem de volta para o Velho Continente.

E a cidadania europeia com certeza é a maneira mais segura e indicada para sair do Brasil e viver na Europa sem risco nas estatísticas de deportação.

Buscar