Brasileiros interessados em fazer Pós nos EUA

img-01-brasileeua

Número de brasileiros interessados em fazer pós nos EUA cresce 24%

O número de brasileiros interessados em cursar pós-graduação nos Estados Unidos subiu 24% neste ano, segundo levantamento do Council of Graduate Schools com 276 universidades norte-americanas. É mais que o dobro do crescimento registrado em 2012, quando houve alta de 9% no número de inscrições feitas por brasileiros. Apesar da demanda, os alunos daqui são apenas 1% do total de estrangeiros matriculados na pós-graduação em escolas dos EUA.

No total, a procura de estrangeiros por cursos nos EUA cresceu apenas 1% em 2013 - a menor taxa nos últimos oito anos. A mudança ocorreu sobretudo pela queda de 5% no número de inscrições de chineses. Para se ter uma ideia, entre 2011 e 2012, 29% dos "alunos internacionais" em instituições norte-americanas eram da China.
O número de applications (como são chamados os processos de candidatura) só não foi menor porque aumentou em 20% o interesse de alunos da Índia por fazer pós nos EUA. Os indianos representam 20% dos estrangeiros nesses cursos, logo atrás dos chineses.

USP abrirá escritórios em Boston, Londres e Cingapura

A USP vai criar escritórios em Boston, Londres e Cingapura como parte de um programa de internacionalização criado nesta terça-feira, 26. As representações devem funcionar por tempo determinado, até 24 de janeiro de 2014. O investimento será de R$ 400 mil, financiado pelo Banco Santander, e incluirá a concessão de bolsas para pesquisadores e estudantes estrangeiros que queiram fazer intercâmbio na USP.
Professores e alunos da universidade também deverão ganhar mais bolsas para atuar fora do País, segundo resolução publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo.

O objetivo do programa é "fortalecer a presença da Universidade de São Paulo no exterior, disseminando o conhecimento produzido por sua comunidade acadêmica conjuntamente com seus parceiros internacionais e propondo novas ações, projetos e/ou programas inovadores na área da internacionalização; fomentar iniciativas de internacionalização; e promover a integração da comunidade acadêmica estrangeira com os docentes e discentes da USP".

Fonte: estadao.com.br

Espanha dará cidadania aos Judeus

img-01-espanhaa

Depois de 500 anos Convidados a Regressar

O governo espanhol anunciou que dará nacionalidade espanhola aos judeus sefaraditas descendentes dos que foram expulsos da Espanha em 1942. Eles terão cidadania automática, desde que comprovem sua condição e obtenham um certificado da Federação das Comunidades Judaicas da Espanha. Para o Ministro da Justiça, Alberto Ruiz-Gallardón, a concessão é para todos que foram injustamente privados de sua nacionalidade.

Os descendentes terão os mesmos direitos de qualquer outro cidadão espanhol. Há mais de 500 anos, dezenas de milhares de judeus fugiram da Espanha por causa da perseguição. Agora seus descendentes são convidados a regressar.

Antes da Inquisição espanhola do século XV, em torno de 300.000 judeus viviam na Espanha. Era uma das maiores comunidades de judeus no mundo. Hoje em dia, existem cerca de 40.000 ou 50.000, mas este número poderia aumentar de forma espetacular.

Em novembro de 2012, o ministro da justiça da Espanha Alberto Ruiz-Gallardón, anunciou um plano para dar aos descendentes da comunidade judia original de Espanha – conhecidos como judeus sefarditas – uma via rápida para obter a nacionalidade espanhola. A qualquer que puder provar suas origens judias espanholas, disse o ministro, será cidadão espanhol.

Buscar