ESTUDOS GENEALÓGICOS

Assessoria para dupla cidadania europeia

Genealogia é o mapa das ligações biológicas entre diferentes indivíduos e gerações. A árvore genealógica é a grafia desse mapa.

Como ciência, é uma auxiliar da história, estudando a origem, evolução e dispersão das famílias e respectivos sobrenomes.

Praticada em tempos passados exclusivamente pela elite, e misturando indiscriminadamente lendas e fatos, servia mais ao desejo de afirmar o prestígio das famílias e legitimar suas pretensões ao poder do que à documentação da história e preservação da memória.

A partir de fins do século XVII passou a ser investigada de maneira científica, mas manipulações ideológicas persistem até hoje.

Na contemporaneidade a pesquisa genealógica se tornou uma atividade extremamente popular, que tem provocado um impacto importante nas formas de entendimento do passado e das origens pela população em geral.

Este fenômeno tem atraído a atenção dos especialistas pelos problemas que a atividade desencadeia e que podem ser distorcidas por conhecimentos que muitas vezes são falsos.

A falta de informações sobre a origem dos seus ascendentes desde o nascido na Europa até o mais próximo da sua linhagem, não significa que você deva desistir de pleitear sua cidadania europeia.

Veja que interessante – a quantidade dos nossos antepassados:

  • Pais: 2
  • Avós: 4
  • Bisavós: 8
  • Trisavós: 16
  • Tetravós: 32
  • Pentavós: 64
  • Hexavós: 128
  • Heptavós: 256
  • Octavós: 512
  • Eneavós: 1024
  • Decavós: 2048

Num total de 11 gerações, 4094 ancestrais…

Isto tudo em, aproximadamente, 300 anos antes de nascermos!

Pare por um instante e pense:

  • De onde vieram?
  • Quantas lutas travaram?
  • Por quanta fome passaram?
  • Quantas guerras viveram?
  • Por quantas vicissitudes todos nossos antepassados sobreviveram?
  • Por outro lado, quanto amor, força, alegrias e estímulos nos legaram?
  • Quanto de sua força para sobreviver, cada um deles teve dentro de si para que, hoje, nós estejamos aqui, vivos?

Nós só existimos graças a tudo o que cada um deles passou!

Isso tudo se funde com a História da Imigração no Brasil.

Veja abaixo uma síntese.

História da Imigração no Brasil

A imigração no Brasil teve início em 1530 com a chegada dos colonos portugueses, que vieram para cá com o objetivo de dar início ao plantio de cana-de-açúcar. Durante todo período colonial e monárquico, a imigração portuguesa foi a mais expressiva.

Nas primeiras décadas do século XIX, imigrantes de outros países, principalmente europeus, vieram para o Brasil em busca de melhores oportunidades de trabalho.  Compravam terras e começam a plantar para sobreviver e também vender em pequenas quantidades. Aqueles que tinham profissões (artesãos, sapateiros, alfaiates, etc.) na terra natal abriam pequenos negócios por aqui.

No começo da década de 1820, muitos imigrantes suíços se estabeleceram na cidade de Nova Friburgo (estado do Rio de Janeiro). Neste mesmo período os alemães começaram a chegar à Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Estes imigrantes passaram a trabalhar em atividades ligadas à agricultura e pecuária.

Já os italianos, que vieram em grande quantidade para o Brasil, foram para a cidade de São Paulo trabalhar no comércio ou na indústria. Outro caminho tomado por eles foi o interior do estado de São Paulo, para trabalharem na lavoura de café que estava começando a ganhar fôlego em meados do século XIX.

Os japoneses começaram a chegar ao Brasil em 1908. Grande parte destes imigrantes foi trabalhar na lavoura de café do interior paulista, assim como os italianos.

Por que estes imigrantes vieram para o Brasil?

No século XIX, o Brasil era visto na Europa e na Ásia (principalmente Japão) como um país de muitas oportunidades. Pessoas que passavam por dificuldades econômicas enxergaram uma ótima chance de prosperarem no Brasil.

Vale lembrar também que, após a abolição da escravatura no Brasil (1888), muitos fazendeiros não quiseram empregar e pagar salários aos ex-escravos, preferindo assim o imigrante europeu como mão de obra. Neste contexto, o governo brasileiro incentivou e chegou a criar campanhas para trazer imigrantes europeus para o Brasil.

Muitos imigrantes também vieram para cá, fugindo do perigo provocado pelas duas grandes guerras mundiais que atingiram o continente europeu.

Razões para contratar o serviço de assessoria da GHF Consult Brasil:

A GHF conta com uma equipe especializada em identificar o ancestral que melhor se encaixa no procedimento e nas leis da nacionalidade europeia para sua solicitação, e seu êxito no processo escolhido.

Muitas vezes os clientes acreditam que seguir por um ancestral é mais fácil do que por outro, quando na verdade a GHF identifica o melhor caminho a seguir economizando tempo e valores a desembolsar com todo o processo.

Esse processo pode se transformar em algo bem complexo e irritante quando não há o apoio de uma assessoria especializada.

O procedimento de trabalho é baseado na análise complexa e completa da documentação, o que evita indeferimentos.

Além do entendimento das leis espanholas, a GHF tem a experiência em outras nacionalidades e suas complexidades, onde a análise crítica torna-se um facilitador nos processos de dupla nacionalidade europeia.

O atendimento é personalizado, conforme as particularidades documentais e civis alinhado com as  necessidades de cada um.

Ainda se necessário, fazemos pesquisas e retificações para correções  em documentos.

Consulte-nos sobre valores e prazos!